terça-feira, 30 de outubro de 2018

A ESCURIDÃO, O GRITO E O TERROR EM QUADRINHOS!!

IL BUIO, IL GRIDO E L'ORRORE A FUMETTI!!

DOMENICA 6 OTTOBRE 2013


IL BUIO, IL GRIDO E L'ORRORE A FUMETTI. by WILSON VIEIRA!


DIME WEB
di Wilson Vieira

Con questo intervento sulla letteratura gotica e sul fumetto horror inizia la collaborazione del grande autore brasiliano Wilson Vieira a Dime Web.
Le immagini di corredo sono tutte tratte da storie sceneggiate da Wilson.
Nato nel 1949, dopo gli studi d'arte sostenuti a Firenze nei primi anni '70, Wilson Vieira ha lavorato per lungo tempo in Italia come disegnatore di fumetti. Dal 1973 al 1980 ha fatto parte dello Staff di If di Gianni Bono a Genova e, in tale veste, ha collaborato alla collana bonelliana "Il Piccolo Ranger" (che proprio Bono, dal febbraio 2012, sta ristampando). Lavori di Wilson sono apparsi anche su "Diabolik" dell'Astorina e - su sceneggiatura di Franco Fossati - ha disegnato nel 1981 Octopus sfida l'Uomo Ragno (per la Mondadori Libri TV). Attualmente, fra i suoi mille progetti, sta  portando avanti la serie a fumetti Cangaceiros – Uomini di Cuoio
Impossibile però riassumere in poche righe la straordinaria carriera di Wilson... Potete trovare interviste a Vieira, sue biografie e novità sui suoi lavori un po' dovunque sul web. Vi consigliamo di iniziare la ricerca leggendo tre post, apparsi rispettivamente su PQEditor, su Comicsblog e su UCM Comics; milioni di spunti anche sui blog personali 
Il blog di Wilson Vieira e Wilson Vieira Quadrinhos scritto in portoghese; molte notizie su di lui le troviamo pure sul sito Il Cannocchiale; abbiamo infine aggiornato la nostra pagina Chi diavolo siamo con una breve bio di Wilson! 

(s.c. & f.m.)




I racconti dell'orrore vengono evidentemente da molto lontano. 
Non è difficile immaginare vecchi uomini canuti e pieni di cicatrici, che ricordano ai belli e increduli nipotini, in favolosi racconti, i tempi in cui le belve affamate osavano mostrare la loro odiosa figura appena oltre la siepe di fuoco che proteggeva, sul limite della caverna, i cuccioli d'uomo. 
Ma è più opportuno, volendo parlare di questi fumetti, partire dalla più nota rivista americana del genere: "Creepy".




I racconti dell'orrore, di cui i fumetti dello stesso genere sono una filiazione, vengono direttamente da certi fascicoletti, denominati 
Blue books dal colore della copertina, che volgarizzavano nel corso dell'Ottocento i romanzi "neri" di una recente tradizione narrativa britannica, tradizione che aveva offerto al pubblico preromantico e romantico, avido di storie del brivido e raccapriccianti, i romanzi di Ann Radcliffe e di Mattew Gregory Lewis, di Charles Robert Maturin e di Horace Walpole. Erano scrittori medievalisti, misticheggianti, adepti del romanzo fantastico popolato di mostri e di tombe. 
André Breton, il leader dei surrealisti, dedicatosi puntigliosamente a ricercare negli scaffali delle biblioteche i precursori del movimento, ebbe a sostenere che gli autori del romanzo "nero" o "gotico" (così detto dallo stile architettonico dei manieri e delle rovine dove spesso si svolgevano gli intrighi più portentosi) avevano catturato nell'aria fine-di-secolo i sintomi e le anticipazioni della Rivoluzione Francese. 
Altri, con meno industriosa immaginazione, si limitarono a scorgere nella sterminata letteratura "nera" il trionfo dell'ombra sulla luce, la vittoria sulla ragione del disordine attuato dal tempo, con edera e muschio intrecciati alle rovine. 
È stata proprio Ann Radcliffe a suggerirci che alla delicata anima romantica le rovine di abbazie abbandonate e di chiostri diroccati suggerivano l'assurdità dell'umana esistenza.
Da Coulrophobia. Testi di Wilson Vieira e disegni di Allan Goldman.


I fumetti dell'orrore, quali si possono seguire in riviste specializzate come "Creepy", si attengono tuttavia a una nudità e secchezza più consone ai nostri tempi. 

Sono presenti Dracula, ovviamente; Frankenstein, oppure la Mummia; ma non è difficile scorgervi le tracce degli eroi letterari che informano parte almeno dell'ispirazione di due grandi scrittori anglosassoni: Edgard Alan Poe e i suoi Racconti Straordinari, Robert Louis Stevenson e Lo strano caso del dottor Jekyll e del signor Hyde; e le vicende ispirate dalla opaca letteratura contro i "papisti" - nata dalla polemica protestante - piene di veleni, di pugnali, di un Rinascimento visto con gli occhi di un moralismo provinciale e meschino. 
Cosa distingue, allora, il romanzo "nero" o "gotico" dal romanzo d'avventura?! 
Le distinzioni segnate con limiti troppo netti, con frontiere ben tracciate, sono sempre opinabili; ci arrischieremo così soltanto nella descrizione dei materiali che sono propri del racconto d'orrore e che nei libri d'avventure non appaiono altro che come incidenti di strada. 
Leggiamo dunque quello che è il più celebre dei romanzi d'avventure, I Tre Moschettieri di Alexandre Dumas (padre): Milady, una bellezza diabolica (oggi diremmo "fatale"), si mette sulla strada di D'Artagnan, dopo aver ridotto alla disperazione, anni prima, il cavalleresco Athos. Resistendo al suo fascino, i Moschettieri ordinano al carnefice di Lilla di mozzarle la testa. La scena è degna di un romanzo "nero" - su questo non c'è dubbio. Essa è come una macchia nel corso del romanzo, ma viene presto dimenticata. Nei racconti che ci interessano l'elemento macabro, terrificante, è sempre presente. 

Copertina per Vulkii. Testi di Wilson Vieira e disegni di Getulio Delphim.


È perfino facile tracciare una sintesi dei motivi principali della macabra sinfonia: una caverna, un monaco, morti in cantina o nei sotterranei, una tempesta che squassa i rami scheletrici degli alberi del parco, un giuramento che deve restare segreto, i mostri, i vampiri, le avvelenatrici, le fanciulle innocenti, il prode cavaliere in groppa al suo cavallo bianco. Gemiti e lamenti di ignota provenienza, donne stupende preda del demonio (generalmente brune belezze e sensualità latine) e grotteschi fantasmi possono sempre intervenire al momento opportuno. 

Uno scrittore americano, Howard Phillips Lovecraft, specialista del genere, così descriveva il tema tradizionale: L'impianto drammatico comprende prima di tutto il castello gotico, dall'antichità tenebrosa, i suoi lunghi corridoi e le passeggiate sugli spalti, le ali deserte o cadute in rovina, i muri umidi, le catacombe malsane e nascoste, le eflorescenze di orridi spettri i di spaventose leggende

O Ceifeiro (ovvero Il Mietitore). Testi di Wilson Vieira e disegni di Fred Macedo.


Uno degli elementi che spingono il lettore a leggere tutto d'un fiato i racconti a fumetti è quello della sorpresa. Creata la situazione al limite tra la realtà e il fantastico, solo alla fine si ha la soluzione, che non delude mai per l'originalità. 

Alcune volte il male trionfa sotto le forme più inaspettate, rivelandosi là dove sembrava esservi la più pura innocenza. 
La bambola in mano alla bambina sorridente si trasforma in un mezzo di tortura, il rifugio tanto agognato o la persona cara nel pericolo a lungo sfuggito, il viso diafano d'una fanciulla in un mostro assetato di sangue caldo. 
Vendette, minacciate secoli addietro, si verificano inaspettatamente, morti si levano a notte fonda dalla tomba per punire i malvagi che li hanno condannati. 
Non manca in taluni episodi una sottile ironia che scambia le parti del dramma - cosicché l'assassino diventa vitima, il persecutore perseguitato. 
Il male non risparmia nessuno e anche il più incredulo deve soccombere di fronte alle sue più spaventevoli incarnazioni. 
Riprendendo l'aspetto figurativo dalla tradizione soprattutto cinematografica, questi fumetti sono notevoli per la precisione del segno e per l'originalità della maschere. Anche i personaggi più incredibili vengono tratteggiati senza cadere nel grottesco. Soprattutto l'agile mano di Reed Crandall riesce a rendere felicemente i più svariati personaggi e le ambientazioni, anche se talvolta di maniera, evitando per lo più i passaggi obbligati del genere per introdurvi elementi realistici che meglio ci fanno assaporare, nel contrasto, l'elemento fantastico. 


...e cioè Il pizzo.


Quanto alle ragioni del fascino che esercitano i racconti dell'orrore a fumetti su un numero straordinario di lettori, le cause mi sembrano di un doppio ordine. Il meraviglioso ha sempre esercitato un'attrazione fortissima anche sulle menti adulte. 

In primo grado la vita quotidiana è così evidentemente imprigionata in regole monotone e fisse da quando ha preso il sopravvento la civiltà urbana che non c'è da meravigliarsi se la gente cerca un rifugio nei racconti fantastici, ricchi di soluzioni strane ed inaspettate. 
In secondo grado, il giusto dell'orrore trova probabilmente dentro di noi una zona ancora inesplorata, fatta di ricordi ancestrali, di riconoscimenti che hanno dello stregonesco, di reminescenze che affiorano improvvise negli incubi e nei sogni notturni per dissolversi alle prime luci del giorno. In parole povere, risalendo nel tempo le generazioni, non si può dire che l'età degli spaventi primordiali sia poi tanto lontana dagli uomini e dalle donne di oggi, che usano tranquillamente computer e aviogetti, che sono al corrente delle teorie di Einstein e delle conturbanti ultime scoperte della biologia.
La psicanalisi ha aperto uno spiraglio; ma sappiamo che si tratta di un semplice anticipo, di una ricerca ricca in potenza di una meravigliosa fecondità. 
Spavento di ciò che non conosciamo, fragilità delle nostre certezze, incapacità di liberarci completamente dalle catene del passato - ovvero, qualcosa di veramente atavico. 


Jamaican Undead. Testi di Wilson Vieira e disegni di Angelo Roncalle.


Ha scritto Violette Trefusis:

La zia Campbell faceva di continuo lo stesso sogno: vedeva distintamente un castello feudale. Essa lo conosceva nei minimi particolari. 
Immaginate dunque il suo smarrimento quando, durante una passeggiata in campagna, alla svolta di una strada, si trovò improvvisamente davanti il castello del sogno. Con il cuore che le batte forte in petto, essa attraversa il ponte levatoio e bussa alla grande porta massiccia piena di chiodi. Dopo qualche minuto, le viene ad aprire un vecchio e strano domestico dall'aria corrucciata. - Chi abita qui? -, chiese mia zia con voce malferma. - Nessuno, signora, il castello è stregato -. 
Il domestico la osservò dalla testa ai piedi: - Lei, signora, dovebbre saperlo meglio di tutti, poiché qui il fantasma è lei -
Poi il buio, il grido e l'orrore, a fumetti...ovverosia, la paura fa sempre novanta, oppure no?!
Bah...aaaaaahhhhhhh... 

... ovvero, secondo Viera, Luna contadina.

Wilson Vieira visto da Fred Macedo


Wilson Vieira 


P.P.S. Trovate i link a tutti gli altri interventi di Wilson Vieira su Dime Web (in particolare la sua Storia del West) andando sulla pagina delle Cronologie!  


sábado, 16 de junho de 2018

ZERO ABSOLUTO - HQB - AGUARDEM!!


O ZERO ABSOLUTO!!
Uma das maiores descobertas da ciência moderna, esconde um bizarro acontecimento. 
Um encontro casual trás a tona, as lembranças de uma tragédia pessoal, ou tudo isso seria na verdade, um orquestrado crime hediondo? O que realmente aconteceu, nessa cidadezinha esquecida pelo mundo? 
ZERO ABSOLUTO é uma homenagem às histórias de ficção da década de 1950, quando imaginação e experimentação eram as regras do jogo.
Nada é o que parece, num final surpreendente.

FICHA TÉCNICA

Argumento/História: Thadeu Fayad
Roteiro: Wilson Vieira
 Capa/Arte: Zilson Costa
Gênero: Suspense
Data de publicação: Em produção
Editora: Red Dragon Publisher/Comics

terça-feira, 1 de maio de 2018

sexta-feira, 30 de março de 2018

GRINGO - VOLUME 1 - RED DRAGON PUBLISHER/BOOKS











                                        

TEASER DE THADEU FAYAD













EU NÃO ESCREVO, PARA CRIAR HERÓIS...ARRIBA GRINGO EM LIVROS!!
FICÇÃO BRASILEIRA/HISTÓRICA

Saído das cinzas de uma guerra civil, um mestiço leva consigo as marcas de um passado sangrento. A morte o rejeitou, mas ainda pode levá-lo a qualquer momento. E isso significa enfrentar a crueldade, o ódio, a vingança e os fantasmas da mente. Porém não procura desforras ou redenção; somente e simplesmente sobreviver. Acompanhe GRINGO um cavaleiro solitário, enquanto ele está vivo. Os tradicionais heróis do Wild Old West, estão sempre prontos a enfrentarem seus inimigos, respeitando as regras de um jogo leal. GRINGO não. Ele não é esse tipo de herói idealizado; absolutamente, o cabeludo, rompe totalmente, com a mesmice. Um verdadeiro spaghetti western brasileiro em livros. Um mestiço sem nome...arriba...GRINGO!!


IlustraçãoCapa/Livro/Volume 1 
Concepção Visual de Marcos Martins​
Logo/Capas/Livros 
Concepção Visual Logo - Alex Magnos​
Teaser e Ficha Técnica - Thadeu Fayad​
Editora RED DRAGON PUBLISHER/BOOKS/COMICS 
Editores - ALEX MAGNOS, TADEU FAYAD E RAPHAEL DUARTE

COMPRE NA EDITORA - BROCHURA
COMPRE NA AMAZON - EBOOK

GRINGO - VOLUME 1 

- MORTE MESTIÇA
- BANDOLEROS
- HOSSO INJUNS
- AÇO DAS BAIONETAS

Ficha Técnica
Título: Gringo
Autor: Wilson Vieira
Volume: 1 (de 4) 
Gênero: Faroeste, Western, Spaghetti Western
ISBN: 978-85-69097-28-0

Ficção Brasileira/Histórica
Páginas: 284
Edição: 1 (Maio, 2018)
Formato: 15x23cm
Acabamento: Brochura com orelhas
Tipo de papel: Cartão 250g (capa), Polen 80g (miolo) 


GRINGO - VOLUME I

1 - MORTE MESTIÇA
O clássico e idealizado herói do faroeste, normalmente é: respeitoso com as mulheres, cortês com os humildes, hábil e preparado para combater seus inimigos, sempre respeitando as regras de um jogo leal e, sobretudo, é um vencedor. GRINGO não. Ele não é absolutamente este tipo de personagem estereotipado, principalmente quando encontra, o seu irmão brutalmente assassinado. O bizarro mestiço cabeludo é somente um homem comum, sem futuro, mas é um típico produto de Guerra e agora está deveras violento, não tendo mais nada a perder, só a ganhar; no presente, em qualquer instante, em algum lugar, cavalgando pelo Velho Oeste, sua morte esperada, num período rude, onde o heroísmo nunca existiu. Conheça-o melhor, a partir deste capítulo e comece a desvendar a sua verdadeira e complexa personalidade, através desta série em livros, original e única.

2 - BANDOLEROS
Ao sul da fronteira Mexicana, os homens vivem miseravelmente e morrem geralmente, por morte violenta. Com dez dólares Americanos, uma família vive por semanas. Dez mil dólares Americanos é uma verdadeira visão do Éden terrestre. Muitos cortariam a garganta da própria avó, por uma quantia similar. GRINGO e sua arma secreta conhecem bem este segredo. El Turco e seus bandoleros sabem que ele também, está a par da situação. Daí então, a sombra da desgraça projeta-se sinistramente, sobre todos os seus protagonistas, implacavelmente.

3 - HOSSO INJUNS
Estamos em 1866, estado do Arizona, em um minúsculo vilarejo chamado Rainbow. Num pequeno forte, uma guarnição de Cavalaria. Lá está também GRINGO e um delicado Sir Inglês, jogador profissional. E não muito distante deste local, estão Cochise e seus valorosos e temíveis guerreiros Apaches, portanto muitas coisas estarrecedoras e inesperadas acontecem, neste local pitoresco e desolado do cenário selvagem Americano.

4 - AÇO DAS BAIONETAS

A trágica Guerra Civil Americana, joga irmão contra irmão, o pai contra o filho. Abrutalha os homens e as mulheres, reduzindo-os ao nível animalesco, mais feroz. Acostumando os indivíduos às torturas, aos roubos, aos homicídios. Assim, em homens como GRINGO, emerge como uma doença avassaladora, contagiosa e eterna; o sutil prazer de matar. 


Wilson Vieira colabora mensalmente, desde 2013, com o site Italiano: DIME WEB (QUADERNI BONELLIANI) Cadernos Bonellianos, dos amigos, Francesco Manetti e Saverio Ceri, escrevendo ensaios mensais, sobre a História do Oeste Americano, para os incontáveis fãs Bonellianos, ou não. Expressando assim, o seu apreço e profundos estudos históricos, pelo tema Western e tudo que o envolve, numa intrincada combinação de; dados, nomes, biografias, locais, acontecimentos e suas respectivas datas e fatos. 


RICETTA PER  SPAGHETTI WESTERN ALLA VIEIRA

Wilson Vieira ha salvato e portato nel suo bagaglio personale, ritornando nel suo Paese, il Brasile, dopo sette anni passati in Italia a studiare e lavorare nel Staff di IF di Gianni Bono, anche una ben selezionata creatività culinaria, e qualche altra abitudine stimolante, intrigante e indimenticabile acquisita negli affollati cinema italiani, dei quali è stato un attento, assiduo ed entusiasta frequentatore, negli anni '70. Lo ha fatto scrivendo nel dettaglio ogni singolo condimento essenziale, così come mettendo su carta le diverse proposte di cibi western su celluloide serviti a quel tempo. È questo il suo vero interesse personale - senza pari, profondo, attraente, gustoso, succoso e inebriante - per gli Spaghetti Western, la cui ricetta originale e unica fu creata da un duo Italiano di eccezionali Masterchef: Sergio Leone ed Ennio Morricone. Una ricetta che Wilson ha conservato con cura, anche con il passare del tempo e delle mode volatili su alcuni ingredienti essenziali. Dopo aver atteso per decenni con pazienza l'ora esatta, dopo una intensa lievitazione e maturazione, Vieira offre ai suoi numerosi e affezionati clienti, in un banchetto, questo suo piatto prelibato, che si fa notare per il suo elevato aroma e ottimo sapore, e soprattutto per il suo contenuto sorprendente, senza eguali. Mangia con vero piacere, lettore, questa magnifica alchimia; "Gringo" il cibo letterario brasiliano, che ora sarà finalmente e cerimoniosamente offerto dalla distinta Casa Editrice Red Dragon Publisher Books & Comics, sotto l'egida dell'editore, scrittore e amico Alex Magnos, in un menù eccezionale, senza precedenti e unico, in quattro volumi differenti pieni di vitamine. Per la versione cartacea, quindi, o lettore, informarti sul sito e goditi il piatto quando e come vuoi, questa famosa e unica pasta fatta in casa (una casa tropicale!) e servita al tuo domicilio. "Gringo" è il piatto sfornato seguendo le migliori ricette italiane, accompagnandolo con la mia ottima e abbondante salsa brasiliana, in modo da potere così offrire una pietanza veramente senza precedenti, per il pieno godimento dei miei innumerevoli e famelici clienti. Buon appetito e serviti a tuo agio, lettore, con il BANG! BANG! all’Italiana. Dopo il fumetto ora c'è anche la narrativa. Come conferma Alex Magnos, editore della Rede Dragon, Gringo è una lettura densa! L'Old Wild West è molto ben rappresentato in questo libro in tutti i suoi aspetti


RECEITA PARA ESPAGHETE WESTERN À MODA VIEIRA

Wilson Vieira contudo, guardou e trouxe em sua bagagem pessoal, a seleta criatividade culinária, retornando ao País, certo hábito inspirador, bem característico, intrigante e inesquecível adquirido em cinemas lotados de fãs, da Velha Bota, do qual era um assíduo atento e entusiasta participante, lá pelos anos 70. Anotando detalhadamente, os seus temperos essenciais, bem como, as diferentes propostas alimentares, servidas naquela época.
É o seu inigualável e profundo interesse pessoal, pelo atrativo, saboroso, inebriante e suculento SPAGHETTI WESTERN; cuja receita original e única, criada por uma dupla Italiana de excepcionais Masterchefs; Sergio Leone e Ennio Morricone, o qual preservou cuidadosamente mesmo, com o passar do tempo e dos modismos voláteis de alguns ingredientes, aguardando por décadas pacientemente, o exato momento, após intensa levitação e maturação, ofertá-la aos seus inúmeros e fiéis clientes, num banquete, do mais elevado aroma, sabor e principalmente, com o seu surpreendente conteúdo, bem diferenciado. Ingira prazerosamente, essa magnifica alquimia alimentar Literária, que será agora finalmente e cerimoniosamente, oferecida pela notável RED DRAGON PUBLISHER™, do escritor, editor e amigo Alex Magnos, num excepcional, inédito e exclusivo cardápio, em quatro variados e vitaminados volumes; em duas formas, para a sua melhor comodidade de aquisição: a versão brochura ou a versão eBook, a escolha delivery, é exclusivamente sua, portanto informe-se, no site e saboreie,   quando e como quiser, essa famosa e única macarronada caseira, servida à la carte.   
GRINGO é o prato resultante, desta rara, nutriente e fumegante iguaria, juntamente com o meu apetitoso e abundante, molho pessoal, caseiro, bem marcante, tornando-se assim, verdadeiramente inigualável, para o deleite total, de seus incontáveis fregueses.   


Bom apetite e sirvam-se à vontade, do bangue-bangue à Italiana; agora também escrito. 

"GRINGO, é uma leitura densa! O Old Wild West, está muito bem representado, neste livro, em todos os seus aspectos." Confirma Alex Magnos - editor da Red Dragon Publisher

GRINGO: LETTERATURA SPAGHETTI WESTERN IN QUATTRO VOLUMI

Romanzieri e narratori di miti scrivevano toccando tutti i generi: episodico ed eccentrico, drammatico ed eroico, etc., dando vita a quell'immagine superficiale di un selvaggio West che ha da sempre affascinato ogni nuova generazione in tutto il mondo. Noi storici mettiamo in discussione i drammi esagerati e l'eroismo del West, negandone sia l'aspetto esageratamente "barbaro" con il quale è stato talvolta dipinto, sia la presunta missione civilizzatrice. Oggi questa ricerca sulla Storia dei Pionieri e sulle origini economiche e sociali degli Stati Uniti d'America rimane ancora oggetto di innumerevoli e infiniti studi. Ma la conquista dell'Old Wild West fu innanzi tutto, innegabilmente, opera di poveri immigrati. Non importa quale fosse la condizione sociale, né i titoli di nobiltà: ogni pioniere sperimentava diverse capacità di sopravvivenza nella vita quotidiana, miserabile e reale, del West. Gringo è una di quelle innumerevoli divagazioni su quel tema emozionante e affascinante che rimane ancora inesauribile e misterioso: l'Old American West, in letteratura.
Nel primo volume inizia un'avventura realisticamente descritta, in un'epoca selvaggia in cui la legge era semplicemente una parola insignificante e nella terra cruda in cui l'arma divenne l'unica giustizia possibile. L'eroe classico idealizzato dal western, in letteratura e nei fumetti, di solito è rispettoso verso le donne, cortese con gli umili abile e preparato a combattere contro i suoi nemici - sempre nel rispetto delle regole di un gioco leale, Ed è soprattutto un vincitore. Gringo, credetemi, no! Non scrivo per creare eroi: anzi in in effetti tutt'altro, e soprattutto per questo personaggio. Lui rompe con tutte queste monotonie letterarie; lui non è assolutamente questo tipo di personaggio stereotipato, specialmente quando trova davanti a sé un parente brutalmente assassinato.

Uscendo dalle ceneri della sanguinaria Guerra di Secessione questo sopravvissuto porta con sé, nelle sue avventure, i segni di un passato orribile, ricordando le terribile battaglie alle quali ha partecipato, battaglie che hanno diviso il Paese, uccidendo migliaia di uomini come lui. Gringo inizia a svelare la tua personalità, vera e complessa, attraverso le pagine di questa serie. Sì, caro lettore: il Selvaggio Vecchio West è tornato, da leggere in quattro volumi sensazionali con quattro capitoli in ogni volume. "Gringo" è una lettura agile, vibrante, con molta azione dall'inizio alla fine, con storie autoconclusive ma interconnesse; qui si trasferiscono e si materializzano, nei testi, gli eccellenti film western italiani, con il tema del mondo vero ed emozionante. Sono gli Spaghetti Western. Gringo è la vera immagine dell'uomo del Dopoguerra che cerca di superare la violenza, l'odio e la sete di vendetta, volendo soltanto sopravvivere, giorno dopo giorno. La morte lo ha respinto ma può ancora prenderlo in qualsiasi momento. Accompagna Gringo nella sua cavalcata solitaria e incessante in questo ambiente ostile mentre ancora è vivo! Un vero Spaghetti Western brasiliano pubblicato in libri di narrativa Un mezzosangue senza nome... arriba... Gringo!


PROJETO/PROPOSTA DA SÉRIE GRINGO.
LITERATURA SPAGHETTI WESTERN, EM QUATRO VOLUMES. 

Romancistas e Criadores de mitos escreveram sob as formas; episódicas e excêntricas, dramáticas e heroicas, dando vida àquela imagem superficial de um Oeste Selvagem, que fascina gerações no mundo inteiro.
Nós historiadores contestamos os dramas, e o heroísmo exagerados, negando, tanto o aspecto bárbaro quanto a missão civilizadora, porque suas críticas não podem se radicalizarem na objetividade, entre a Lenda e a Realidade sobre o Velho Oeste Americano e seus personagens.
Atualmente esta busca, de retornar aos tempos da História dos pioneiros e as origens econômicas e sociais dos Estados Unidos da América, ainda permanecem como objeto de inúmeros e infindáveis estudos.
Mas, a conquista do Velho Oeste foi, antes de tudo, uma obra de imigrantes pobres, inegavelmente.
Lá não importava a condição social, nem os títulos de nobreza; cada um contava com as próprias capacidades de sobrevivência, no miserável e realista dia-a-dia.
GRINGO é uma dessas inúmeras divagações, sobre o empolgante e fascinante tema, que permanece ainda hoje, inesgotável e misterioso; o Western, em Literatura.
Começa aqui uma aventura, descrita realisticamente; numa época selvagem, onde a lei era simplesmente uma palavra insignificante e na terra bruta, onde a arma tornava-se, a única justiça possível.
O clássico e idealizado herói do Faroeste em Literatura, normalmente é; respeitoso com as mulheres, cortês com os humildes, hábil e preparado para combater seus inimigos, sempre respeitando as regras de um jogo leal e, sobretudo, é um vencedor. 
GRINGO não; simplesmente porque eu não escrevo, para criar heróis; na verdade, bem longe disso.
Ele não é, absolutamente, este tipo de personagem estereotipado, principalmente quando encontra, o seu irmão, brutalmente assassinado.
Saído das cinzas da famigerada e sanguinária Guerra de Secessão, este sobrevivente Unionista, traz consigo, as marcas de um passado sangrento.
Inicie a desvendar, a sua verdadeira e complexa personalidade, através desta série original e única.
Sim caro leitor, o Velho Oeste voltou, para ser lido, em quatro volumes sensacionais.
GRINGO é uma leitura ágil, vibrante, tendo muita ação do início ao fim, a cada capítulo, com estórias fechadas e interligadas, transferindo e materializando, os excelentes filmes Italianos em textos, com o verdadeiro e empolgante tema mundial; o SPAGHETTI WESTERN.
GRINGO durante suas aventuras relembra também, as terríveis batalhas nas quais participou e que dividiu o País, matando milhares de homens, como ele.
GRINGO é a verdadeira imagem do homem do Oeste pós-guerra, tentando sobrepujar a violência, o ódio e a vingança.
A morte o rejeitou, mas ainda pode levá-lo a qualquer momento.
Acompanhe GRINGO, em sua solitária e incessante cavalgada, neste ambiente hostil, enquanto ele está vivo!
Um verdadeiro spaghetti western brasileiro, em livros.

Um mestiço sem nome...arriba...GRINGO!!

"Acompanhe Gringo, um cavaleiro solitário, totalmente diferente dos tradicionais heróis do Velho Oeste, que estão sempre prontos para enfrentar seus inimigos, respeitando as regras de um jogo leal. 
Gringo rompe com a mesmice do herói idealizado, um verdadeiro romance ao melhor estilo brasileiro. 
Com muita ação do início ao fim, cada capítulo do livro conta com histórias fechadas e interligadas, utilizando-se como referência dos excelentes filmes Italianos de faroeste; os famosos (spaghetti westerns), além de todo conhecimento que o autor, Wilson Vieira, possui sobre a Guerra Civil Estadunidense, o Velho Oeste e seu período histórico. 
Nos presenteando com a realidade bárbara da missão civilizadora do Oeste Americano, tudo isso em textos recheados com o verdadeiro e empolgante spaghetti western. Gringo é uma leitura densa, por isso não espere encontrar o tradicional herói do Faroeste que, normalmente, é um vencedor. 
Aqui não há heróis."

*Afirma Alex Magnos - editor da RED DRAGON PUBLISHER - Quadrinhos e Livros.

quarta-feira, 28 de março de 2018

REVISTA MAXI FUMETTI IMPRESSA - NÚMERO 1


Conheça a NOVA REVISTA MAXI FUMETTI - IMPRESSA - NÚMERO 1 (assinaturas com Thadeu Fayad - editor), com o melhor dos quadrinhos Bonelli, matérias, entrevistas, resenhas, curiosidades e novidades. A única revista especializada em quadrinhos Italianos do Brasil.

terça-feira, 20 de março de 2018

REVISTA DIGITAL FUMETTI #4 - ABRIL : MUNDO DO OESTE!! LEIAM AGORA!!


A única revista brasileira 100% digital e gratuita, especializada em HQs Bonelli e artistas independentes

A maior e melhor edição já feita da fumetti digital! Claro que todo mês esperamos bater essa meta e seguir melhorando e crescendo cada vez mais.
Nessa edição um super especial sobre Dylan Dog, contando desde sua criação até o atual momento na Itália. Isso sem mencionar a entrevista com ninguém menos do seu criador, Tiziano Sclavi e Gigi Cavenago, um dos melhores (senão for o melhor) capista e desenhista do Investigador do Pesadelo. Gigi é o desenhista da primeira graphic novel de Dylan Dog que será lançada no Brasil, pela Mythos, agora em maio.
Para os amantes do Western, EXCLUSIVO no Brasil, “O Mundo do Oeste”, uma série de ensaios sobre o velho Oeste escrito por Wilson Vieira para um dos maiores portais especializados em quadrinhos Bonelli, a Dime Web. Parceria mais do que especial entre a Revista fumetti e o portal Dime Web. Um trabalho muito bem elaborado entre o Wilson e o Francesco, um dos responsáveis pelo portal, onde ao longo do texto ele relaciona as passagens com edições de Tex, Zagor e demais personagens Bonelli.
Depois de alguns meses de pesquisa e apuração, trazemos uma matéria sobre a formação de preço de capa das HQs vendidas no Brasil, complementando artigos anteriores sobre o custo dos quadrinhos por aqui.
No nosso espaço de quadrinhos independentes, um história exclusiva de Décio Ramírez e outra grande entrevista, dessa vez com Pedro Mauro falando sobre sua HQ Gatilho, que já se tornou um clássico dos quadrinhos nacionais.
Joana Rosa trás a segunda parte de seu artigo sobre as coleções de Tex que já terminaram ou foram canceladas e porque elas ainda movimentam tanto o mercado. E na coluna do Luiz Henrique quadrinhos de terror, uma paixão nacional.
Um super pôster de Gringo, na arte de Marcos Martins!
E fechando a edição, o review de Dampyr da Editora 85, Godless e games de faroeste!
Faça o download já!
Edição em formato página simples, aqui.
E em formato de páginas duplas, aqui.
Boa leitura!

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

RED DRAGON PUBLISHER - GRINGO LIVROS - 4 VOLUMES - WILSON VIEIRA



Colabora mensalmente, desde 2013, com o site Italiano: DIME WEB (QUADERNI BONELLIANI) Cadernos Bonellianos, dos amigos, Francesco Manetti e Saverio Ceri, escrevendo ensaios mensais, sobre a História do Oeste Americano, para os incontáveis fãs Bonellianos, ou não. Expressando assim, o seu apreço e profundos estudos históricos, pelo tema Western e tudo que o envolve, numa intrincada combinação de; dados, nomes, biografias, locais, acontecimentos e suas respectivas datas e fatos.

Wilson Vieira contudo, guardou e trouxe em sua bagagem pessoal, a seleta criatividade culinária, retornando ao País, certo hábito inspirador, bem característico, intrigante e inesquecível adquirido em cinemas lotados de fãs, da Velha Bota, do qual era um assíduo atento e entusiasta participante, lá pelos anos 70. Anotando detalhadamente, os seus temperos essenciais, bem como, as diferentes propostas alimentares, servidas naquela época.
É o seu inigualável e profundo interesse pessoal, pelo atrativo, saboroso, inebriante e suculento SPAGHETTI WESTERN; cuja receita original e única, criada por uma dupla Italiana de excepcionais Masterchefs; Sergio Leone e Ennio Morricone, o qual preservou cuidadosamente mesmo, com o passar do tempo e dos modismos voláteis de alguns ingredientes, aguardando por décadas pacientemente, o exato momento, após intensa levitação e maturação, ofertá-la aos seus inúmeros e fiéis clientes, num banquete, do mais elevado aroma, sabor e principalmente, com o seu surpreendente conteúdo, bem diferenciado. Ingira prazerosamente, essa magnifica alquimia alimentar Literária, que será agora finalmente e cerimoniosamente, oferecida pela notável RED DRAGON PUBLISHER™, do escritor, editor e amigo Alex Magnos, num excepcional, inédito e exclusivo cardápio, em quatro variados e vitaminados volumes; em duas formas, para a sua melhor comodidade de aquisição: a versão brochura ou a versão eBook, a escolha delivery, é exclusivamente sua, portanto informe-se, no site e saboreie,   quando e como quiser, essa famosa e única macarronada caseira, servida à la carte.   
GRINGO é o prato resultante, desta rara, nutriente e fumegante iguaria, juntamente com o meu apetitoso e abundante, molho pessoal, caseiro, bem marcante, tornando-se assim, verdadeiramente inigualável, para o deleite total, de seus incontáveis fregueses.   

Bom apetite e sirvam-se à vontade, do bangue-bangue à Italiana; agora também escrito. 


PROJETO/PROPOSTA DA SÉRIE GRINGO.
LITERATURA SPAGHETTI WESTERN, EM QUATRO VOLUMES. 

Romancistas e Criadores de mitos escreveram sob as formas; episódicas e excêntricas, dramáticas e heroicas, dando vida àquela imagem superficial de um Oeste Selvagem, que fascina gerações no mundo inteiro.
Nós historiadores contestamos os dramas, e o heroísmo exagerados, negando, tanto o aspecto bárbaro quanto a missão civilizadora, porque suas críticas não podem se radicalizarem na objetividade, entre a Lenda e a Realidade sobre o Velho Oeste Americano e seus personagens.
Atualmente esta busca, de retornar aos tempos da História dos pioneiros e as origens econômicas e sociais dos Estados Unidos da América, ainda permanecem como objeto de inúmeros e infindáveis estudos.
Mas, a conquista do Velho Oeste foi, antes de tudo, uma obra de imigrantes pobres, inegavelmente.
Lá não importava a condição social, nem os títulos de nobreza; cada um contava com as próprias capacidades de sobrevivência, no miserável e realista dia-a-dia.
GRINGO é uma dessas inúmeras divagações, sobre o empolgante e fascinante tema, que permanece ainda hoje, inesgotável e misterioso; o Western, em Literatura.
Começa aqui uma aventura, descrita realisticamente; numa época selvagem, onde a lei era simplesmente uma palavra insignificante e na terra bruta, onde a arma tornava-se, a única justiça possível.
O clássico e idealizado herói do Faroeste em Literatura, normalmente é; respeitoso com as mulheres, cortês com os humildes, hábil e preparado para combater seus inimigos, sempre respeitando as regras de um jogo leal e, sobretudo, é um vencedor. 
GRINGO não; simplesmente porque eu não escrevo, para criar heróis; na verdade, bem longe disso.
Ele não é, absolutamente, este tipo de personagem estereotipado, principalmente quando encontra, o seu irmão, brutalmente assassinado.
Saído das cinzas da famigerada e sanguinária Guerra de Secessão, este sobrevivente Unionista, traz consigo, as marcas de um passado sangrento.
Inicie a desvendar, a sua verdadeira e complexa personalidade, através desta série original e única.
Sim caro leitor, o Velho Oeste voltou, para ser lido, em quatro volumes sensacionais.
GRINGO é uma leitura ágil, vibrante, tendo muita ação do início ao fim, a cada capítulo, com estórias fechadas e interligadas, transferindo e materializando, os excelentes filmes Italianos em textos, com o verdadeiro e empolgante tema mundial; o SPAGHETTI WESTERN.
GRINGO durante suas aventuras relembra também, as terríveis batalhas nas quais participou e que dividiu o País, matando milhares de homens, como ele.
GRINGO é a verdadeira imagem do homem do Oeste pós-guerra, tentando sobrepujar a violência, o ódio e a vingança.
A morte o rejeitou, mas ainda pode levá-lo a qualquer momento.
Acompanhe GRINGO, em sua solitária e incessante cavalgada, neste ambiente hostil, enquanto ele está vivo!
Um verdadeiro spaghetti western brasileiro, em livros.

Um mestiço sem nome...arriba...GRINGO!!



























Primeiras imagens promocionais da bela obra GRINGO de WILSON VIEIRA que será publicada pela Red Dragon Publisher
.
Ilustração e concepção visual por mim Marcos Martins Art
Concepção visual do logotipo GRINGO por Alex Magnos 
Animação de Thadeu Fayad

GRINGO - VOLUME 1 

- MORTE MESTIÇA

- BANDOLEROS

- HOSSO INJUNS

- AÇO DAS BAIONETAS


Ficha Técnica
Título: Gringo
Autor: Wilson Vieira
Volume: 1 (de 4) 
Gênero: Faroeste, Western, Spaghetti Western
ISBN: 978-85-69097-28-0

Ficção Brasileira/Histórica
Páginas: 284
Edição: 1 (Maio, 2018)
Formato: 15x23cm
Acabamento: Brochura com orelhas
Tipo de papel: Cartão 250g (capa), Polen 80g (miolo)  




EU NÃO ESCREVO, PARA CRIAR HERÓIS...ARRIBA GRINGO EM LIVROS!!

Saído das cinzas de uma guerra civil, um mestiço leva consigo as marcas de um passado sangrento. A morte o rejeitou, mas ainda pode levá-lo a qualquer momento. E isso significa enfrentar a crueldade, o ódio, a vingança e os fantasmas da mente. Porém não procura desforras ou redenção; somente e simplesmente sobreviver. Acompanhe GRINGO um cavaleiro solitário, enquanto ele está vivo. Os tradicionais heróis do Wild Old West, estão sempre prontos a enfrentarem seus inimigos, respeitando as regras de um jogo leal. GRINGO não. Ele não é esse tipo de herói idealizado; absolutamente, o cabeludo, rompe totalmente, com a mesmice. Um verdadeiro spaghetti western brasileiro em livros. Um mestiço sem nome...arriba...GRINGO!!




Arriviamo così alla 54a puntata della "Storia del West" scritta dal nostro amico e collaboratore carioca Wilson: ne leggerete delle belle (cioè delle brutte)! Vi anticipiamo fin d'ora che uno dei prossimi interventi di Vieira su Dime Web sarà dedicato a GRINGO, suo personaggio western, pubblicato a fumetti in Brasile nel 2006 e adesso protagonista di libri di narrativa! Prima di lasciarvi alla lettura vi ricordiamo che tutte le immagini non bonelliane sono state scelte e posizionate nel testo dallo stesso Vieira. (s.c. & f.m.)


 

Reforçando ainda mais a parceria entre a Revista fumetti. e a Confraria Bonelli antecipadamente está no ar a nova edição da revista eletrônica sobre quadrinhos Bonelli!
Nesta edição, um grande especial sobre quadrinhos independentes brasileiros. Você irá conhecer Saint Alamo e seu universo de “bichinhos” que estão longe de serem fofos e gentis e que deixariam Tarantino e Garth Ennis assustados.
São muitas entrevistas e material de alta qualidade produzida por nossos artistas brazucas e que muitas vezes não chegamos nem a conhecer. Descubra o Nanquim Arretado, o GRINGO e muitas outras ações fantásticas.
Joana Rosa apresenta a primeira parte de seu artigo sobre as coleções de Tex que já terminaram ou foram canceladas e porque elas ainda movimentam tanto o mercado. Temos a chegada do Luiz Henrique nosso mais novo colunista, mostrando que nossa ligação com os quadrinhos Italianos vem de longa data.
Pra fechar a edição, duas entrevistas especialíssimas em comemoração ao retorno de Dylan Dog e Martin Mystère, Aurélio Mioto bateu um papo com Giuseppe Montanari, desenhista de Dylan Dog e em parceria com o Aurélio, eu bati um papo com Lucio Filippuccidesenhista de Martin Mystère.